Sempre eu queria ter

 

O sempre,
não é sempre que acontece.
Por que não pode ficar para sempre?
Na hora do adeus,
não encontro o sempre,
somente a saudade,
que do futuro faz o presente. 

A angústia deste,
que poderá ser o último e nada mais;
se conforma na inconformidade,
de um dia te encontrar. 

Por que tudo assim?...
Renego este sentimento
e agonizo o de querer. 

O dia traz à noite,
como à noite traz o dia.
Neste vai e vem,
nem sempre querer é poder.
Mais o poder de querer me diz que,
um dia,
para sempre eu vou te ter.

 

Letícia Luccheze.

 


     Poema escrito para Gleibson Pereira Silva.