Mulheres Vão à Delegacia

por Serem Chamadas de Gorda
 

Da Folha de S.Paulo 10/01/2000 20h04
Em Campinas

 


            Duas mulheres de Jundiaí, na Grande São Paulo, acionaram a DDM (Delegacia de Defesa da Mulher), alegando terem sido chamadas de gordas em estabelecimentos comerciais da cidade.
            Pelo menos uma das mulheres já entrou na Justiça solicitando ressarcimento por danos morais. Os funcionários das empresas envolvidas no caso foram acusados de injúria.
            A DDM alegou sigilo para não fornecer o nome das mulheres e dos estabelecimentos comerciais envolvidos nas denúncias.
            O primeiro caso aconteceu no bairro da Ponte São João e a mulher já entrou com pedido de indenização por danos morais.
            Segundo a mulher que denunciou o caso, ela teria ido comprar roupas em uma loja e comentou com a vendedora que a roupa não servia em seu corpo. Em seguida, a vendedora, segundo ela, disse que o problema seria da consumidora, que “estava gorda”.
            No segundo caso, a mulher foi procurar emprego de caixa em um estabelecimento comercial. Após preencher todos os requisitos exigidos, foi questionar do gerente o motivo por ter sido dispensada.
            O gerente, então, teria respondido que o problema é que a mulher “era gorda e ele não costuma colocar gordas no caixa”.
            O crime de injúria prevê pena de um a três anos de prisão. A ofensa, como é o caso, tem pena de três meses a um ano de detenção. Também estão previstas na lei penas de indenização por danos morais.

           

            AROLDO JUNIOR.