Cabeça oca

 

A caneta entre os dedos,
imóvel a meditar.
Sem saber o que dizer
e o que pintar. 

Surgem letras que não se formam.
Ideias que se desmancham.
O tempo passa sem parar
e o peito apertado sem nada pra falar. 

De repente cai em mente,
a ideia não surgida.
A caneta coloca em forma,
o que por fim não deveria.

 

Letícia Luccheze.