Amar

 

A busca que parecia ter se esgotado,
trazia consigo a angústia e o frustramento
de nunca ter a encontrado.
Ela já havia passado
pelos os mesmos caminhos que os dele,
chegou estar ao teu lado,
mais nada havia sido dito,
e assim ela se foi.
Se foi...
...sem que ambos soubessem
que pertenciam um ao outro.

Nos pensamentos ela ficou adormecida
e do coração por muitas vezes,
tentou retirá-la sem no fundo querer.
Estavam sempre tão próximos,
mais nunca se encontravam.
Foi aí que uma ironia cômica
de uma separação,
desencadeou uma busca dele por ela. 
Não se sabe se pelo tempo perdido,
se pela ansiedade de um beijo,
se pelo medo de perdê-la,
ou perdê-lo novamente,
ou simplesmente porque era
i-ne-vi-tá-vel.  

Amar...
...é quando você respira
e inspira o ar que a rodeia.
E não existe outra no bairro,
na cidade, ou no planeta
que se compare a ela. 

Amar...
...é sentir de forma literal e integral
a felicidade incomparável,
incomparável,
incomparável de ter ganhado
na extramega-sena acumulada do amor. 

Os olhos brilham ao vosso lado.
Ela é a mulher que desceu do Monte Olímpio,
exclusivamente para ficar com ele
e nada mais. 

E nada mais,
nesse mundão de Deus
ele só vai querer ela
envolto aos braços teus.
Sempre se preocupando
com o bem estar dela.
As almas se entrelaçam,
encontram-se,
olham-se,
falam-se,
tocam-se,
beijam-se
e se amam.
De forma meiga e carinhosa
tu contarás as horas
ansioso para um novo encontro.
De forma continua,
incessante
e inesgotável de amar. 

Você passará a imaginá-la
para toda a vida,
em que dedicará
de forma absoluta
àquele ser admirável,
venerada,
exclusiva,
amada,
e única. 

O par de cadeiras de balanço,
o pãozinho no café da manhã,
o abraço terno em um beijo eterno.
E depois disso
não resta mais nada na vida,
podendo todo o mundo se acabar.
Pois ele já ri a toa
e suspira ao vento
se tornando mais leve que uma pluma,
por apenas amar. 

Não disse ser amado
e sim por amar.
E de forma incontrolável
agradece a Deus,
por ser o homem mais feliz
de todos os homens da face da Terra.

 

Letícia Luccheze.

 

 

 

   Você já sentiu isso por alguém?  Se não, então você, não foi homem de abrir as portas do seu coração para a amada. Falo-lhes de alma e não de corpo. E o que mais poderia ser um coração?
            Olhe para o seu interior e reflita sobre o que você, ser humano anseia, ignorando os estereótipos, os padrões da mídia. E verás, sentirás de forma desesperada, em meio à felicidade que reluzirá, de forma ardente em vossos olhos, ao perceber que a sua musa, a sua amada, a sua amante, a sua querida, esteve todo o tempo próximo de ti. A sua mulher venerada e muito amada não existe igual e nunca existirá. Perceberás aí que bens materiais, posses e poder são fúteis em relação, ao sentimento de tê-la ao teu lado.
            Uma coisa é certa, por instantes nessa na minha vida, sinto de forma dolorida na minha alma, que havia casado com a pessoa errada.

 Letícia Luccheze.